A CADA 37 HORAS UMA PESSOA LGBTI+ É ALVO DE VIOLÊNCIA NO PARANÁ! |
Por Lucas Siqueira Dionisio

A CADA 37 HORAS UMA PESSOA LGBTI+ É ALVO DE VIOLÊNCIA NO PARANÁ!

O Grupo Dignidade, ONG que defende os direitos da população LGBTI+ há mais de 25 anos, solicitou à Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná, relatório acerca da violência contra as pessoas LGBTI+. Os números são alarmantes!

Os casos de violência entre os anos de 2014 e 2017 aumentaram em 45% no Paraná. Analisando apenas a capital do estado, esse crescimento foi de 42%. Há um ataque a cada 37 horas no Paraná!

Dentre as diversas formas violência, as três ocorrências mais registradas foram Injúria, Ameaça e Lesão Corporal.

A fonte de dados para o relatório foi o BOU (boletim de ocorrências unificado), onde foi adicionado o campo referente às políticas públicas que inclui a homofobia em seu contexto.

Para Lucas Siqueira Dionísio, presidente do Espaço Paranaense da Diversidade LGBT e também diretor administrativo do Grupo Dignidade, “estes dados podem ser bem maiores, pois poucas vítimas denunciam, o que reafirma como é importante denunciar para que se traga à tona a realidade que comunidade LGBTI+ sofre.”

Gisele Alessandra, advogada trans, afirma que “diante de tal contexto, torna-se imprescindível que o legislativo exerça seu papel constitucional e criminalize a LGBTIfobia (homofobia).”

Segundo Toni Reis, diretor executivo do Grupo Dignidade, “ao analisarmos o mapa da violência contra a comunidade LGBTI+ no estado do Paraná, fica evidente que precisamos reforçar as políticas hoje feitas, criminalizar a violência e a discriminação motivadas por LGBTIfobia e denunciar constantemente qualquer forma de violência contra nossa comunidade. Direitos iguais, nem menos, nem mais.”…

Conheça mais sobre os trabalhos do Grupo Dignidade, através do nosso site www.grupodignidade.org.br e pelo Facebook: Grupo Dignidade.

Quer receber novidades
do universo LGBT?


Gostou desse post? Então compartilhe!


Você vai achar isso mara:


Bota a cara no sol:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *